Seu Navegador não tem suporte a esse JavaScript!
 
Lendas

Um povo vive de histórias e mitos. Algumas delas tornam-se parte da identidade de um lugar. Criaturas da mitologia, personagens do folclore e passagens pelo sobrenatural. As lendas de Monteiro Lobato sempre estiveram vivas na imaginação e no cotidiano lobatense.

Saci: No interior do município, no bairro da Pedra Branca, a lenda do Saci causa espanto e curiosidade. O moleque de uma perna só é motivo de discórdia na região. Com um gorro vermelho e um cachimbo, a figura do Saci sempre esteve associada às travessuras e aos problemas do campo, como atormentar os animais e sabotar os temperos das cozinhas. Fiéis à lenda, os habitantes acreditam na existência do molecote em terras lobatenses. Ainda é possível encontrar pequenas armadilhas para capturar o endiabrado. Garrafas e peneiras são espalhadas na mata, afinal, todo cuidado é pouco contra o levado Saci.

Corpo Seco: Outra lenda também tornou-se popular no município: A história do Corpo Seco. De acordo com os contadores, um menino que batia em sua mãe foi jogado em um espinheiro. Rejeitado por Deus e pelo diabo, o corpo está vagando por Monteiro Lobato. Durante anos, a história foi contada por pais e mães, para assim garantir a obediência dos filhos.

Dragão: Dentre todas as histórias lobatenses, uma em especial é motivo de especulações e diferentes versões. Os antigos moradores contam sobre a existência de um Dragão adormecido no subsolo de Monteiro Lobato. O animal gigante estaria submerso na praça central da cidade, sua calda chegando até a igreja e sua cabeça no alto de um morro. Alguns acreditam que quando o dragão se mexe, os que estão sentados na praça adormecem. Outros juram que um dia o animal irá despertar. Quando? Não se sabe.